Os financiamentos imobiliários normalmente são de longo prazo, por vezes de até 30 anos. Só que muita coisa pode acontecer na vida de uma pessoa nesse tempo e não é incomum precisar vender o imóvel nesse período. Mas como financiar um imóvel ainda não quitado?

Muitos compradores, vendedores e até mesmo corretores de imóveis têm essa dúvida. Alguns, inclusive, acham que esse procedimento não é possível e que a única opção é que o comprador pague à vista e quite a dívida do financiamento. Mas a verdade é que existe uma maneira de financiar um imóvel não quitado. Neste post, vamos ver em que condições isso é possível e como fazê-lo. Confira!
O que é um financiamento imobiliário ativo?

Em primeiro lugar, vamos esclarecer o que é um imóvel com financiamento imobiliário ativo. Trata-se de um imóvel que foi comprado pelo atual proprietário por meio de financiamento imobiliário e este ainda está em andamento, ou seja, as parcelas ainda não foram todas quitadas, havendo um saldo devedor para com a instituição financeira que concedeu o financiamento.

O que é IQ — Interveniente Quitante?

Existe um procedimento feito entre os bancos para a compra de um imóvel com financiamento imobiliário ativo chamado de Interveniente Quitante, também conhecido como IQ pelos profissionais da área. É um procedimento bem comum, porém com detalhes a serem observados.

Como funciona o IQ?

O comprador deve informar à instituição financeira na qual está pedindo o financiamento imobiliário de que o imóvel já é garantia de outro financiamento. A instituição vai solicitar algumas informações, como o saldo devedor do imóvel.O comprador deve solicitar essas informações ao vendedor do imóvel, que ficará responsável por obtê-las com a instituição pela qual seu imóvel está financiado. Após a entrega da documentação, a instituição financeira que o comprador escolheu analisa as informações. Se a análise for aprovada, ela quita o financiamento anterior e faz um novo para o comprador. Lembre-se de que isso não é uma transferência de financiamento. Na verdade, parte do crédito obtido pelo comprador será usado para quitar o financiamento do vendedor.

Até aqui vale chamar a atenção para dois pontos. O primeiro é que o comprador está fazendo um novo financiamento, e todas as regras normais para concessão de crédito serão aplicadas normalmente: a instituição financeira vai analisar a capacidade do comprador de pagar aquele financiamento e a documentação do imóvel. Assim, o crédito só será concedido se os pré-requisitos forem atendidos.

O segundo ponto é uma consequência do anterior. Como é um novo financiamento, para uma outra pessoa, o valor das prestações do imóvel não será aquele que o vendedor pagava e, muito provavelmente, será consideravelmente maior. Isso porque as prestações são decrescentes. Assim, se o vendedor já pagava esse financiamento há alguns anos, o valor foi diminuindo nesse período. Já o comprador começará com um valor inicial mais alto.

Quais são as regras do IQ?

O saldo devedor deve ser menor que o valor financiado pelo comprador, pois, para emitir o contrato, o banco que está concedendo o novo financiamento fica responsável pela quitação com a outra instituição. Caso esse saldo seja maior, ao receber o sinal no compromisso de compra e venda, o vendedor deve se responsabilizar por quitar dessa diferença, deixando sempre uma margem para os reajustes que ocorrerão até a data da efetiva quitação.

O vendedor, como contratante do financiamento ativo, deve se disponibilizar a interagir com o seu banco para fornecer as informações e documentos necessários para viabilizar a quitação. Alguns bancos disponibilizam essas informações diretamente ao outro agente financeiro, mas isso não ocorre sempre e varia de uma agência para outra. Por isso, o vendedor deve estar consciente de que esta é uma responsabilidade dele.

Todos os bancos fazem o procedimento de IQ?

É importante ressaltar que atualmente nem todos os bancos fazem o IQ quando o imóvel está financiado por outra instituição. A maioria dos bancos só faz a quitação se o saldo devedor for de um crédito concedido por eles mesmo. Dessa forma, é preciso que o comprador fique atento a este detalhe.

Que cuidados devem ser tomados?

O Interveniente Quitante é a única forma legal de financiar um imóvel não quitado. É importante ressaltar isso porque é relativamente comum a realização dos chamados “contratos de gaveta” nesses casos. O “contrato de gaveta” é um acordo informal no qual o financiamento continua no nome do vendedor, enquanto as parcelas passam a ser pagas pelo comprador. Esse acordo não tem nenhum valor legal e pode trazer inúmeros problemas para ambas as partes, por isso, não é recomendado de forma nenhuma!

Já para quem decide fazer o Interveniente Quitante, os cuidados recomendados são os mesmos de qualquer negociação normal. O comprador deve avaliar bem o imóvel, checar possíveis problemas de estrutura e procurar conhecer a situação do vendedor.

Fonte: Blog CrediPronto

Conseguiu tirar todas as suas dúvidas? Deixe seu comentário abaixo!

Compartilhar: