No século XIX, na Europa, surgiram as primeiras ruas com grandes concentrações de lojas de luxo.  O auge dessas ruas com concentração de grandes marcas e muita sofisticação foi nos anos 30 e 60.  Nos últimos anos, essa tendência aumentou, movimentando novamente o comércio especializado em luxo e requinte.  Hoje, é comum que consumidores exigentes prefiram realizar suas compras de forma mais tranquila e confortável, circulando pelas ruas mais badaladas dos grandes centros.

A recessão econômica não estremeceu o mercado de luxo. Os clientes com o maior poder aquisitivo continuam consumindo sem grandes impactos. No ano de 2015 o segmento cresceu em média 12% e a expectativa é que os resultados se repitam neste ano. Por esse motivo, mesmo com a crise, o Brasil ainda abriga endereços caros para quem pretende investir neste mercado.

No ranking de primeiro lugar dos endereços mais caros do Brasil e da América do Sul, a rua Garcia D´Ávilla em Ipanema, no Rio de Janeiro, ocupa o metro quadrado útil cotado de R$:325,00 ao mês. O preço do aluguel por metro quadrado não sai por menos de US$ 1,2 mil anuais.  Conhecido como “Quadrilátero do Charme”, o polo comercial compete com marcas do Shopping Leblon e o Village Mall, que promete segurança, estacionamento e ar condicionado. Mas, as lojas de ruas têm também suas vantagens de não cobrar a taxa de marketing e vender mais devido aos horários de funcionamento. A Garcia ostenta hoje as lojas de grifes mais famosas do mundo, entre elas a sede internacional da H.Stern, Nike, Birkin, Lacoste, entre outras.

Seguindo a tabela de preços das ruas mais valorizadas do Brasil, a Oscar Freire aparece na segunda posição, com o valor aproximado de locação de R$: 210,00 por m² útil/mês. Conhecida também por abrigar as marcas mais famosas, a Rua Oscar Freire é um dos principais endereços de compras de rua na cidade. Além das compras, abriga boas opções gastronômicas. O restaurante Italy, Bacio di Latte, Ben&Jerry’s, Diletto, Kopenhagen, entre outros.  Ainda em São Paulo, outras regiões possuem o preço médio semelhante à rua Oscar Freire, sendo eles, Bela Citra R$:130,00 por m² útil/mês, Alameda Lorena R$:125,00 e Haddock Lobo R$:120,00.

Vamos falar de Brasília?

A capital do país também entra no ranking de endereços mais caros no Brasil. Atualmente, concentra uma população média com grande poder aquisitivo e é conhecida não apenas por sediar o centro político brasileiro, mas também por sua arquitetura e seus imóveis de luxo.

Por alguns anos, itens de luxo precisavam ser trazidos em malas para Brasília. A cidade não tinha um comércio focado em alto padrão, diferente de hoje, já que atualmente Brasília possui 2,6 milhões de habitantes e ostenta o maior PIB per capita do país (R$:40.696 por ano, três vezes mais que a média brasileira).

Um estudo feito pelo instituto de pesquisa alemão GFK e pela consultoria brasileira MCF, especializada no consumo de alta renda, mostra que a Capital Federal se tornou essencial para quem se dedica a vender produtos sofisticados. Para 47% dos empresários entrevistados – de um universo de 102 companhias de luxo ouvidas na pesquisa –, Brasília é considerada a mais promissora das apostas. (Fonte Revista Época)

Rentabilidade Comercial

O Índice de Rentabilidade Imobiliária do Secovi DF analisa a relação dos preços medianos de aluguel e de venda das quatro Regiões Administrativas: Águas Claras, Brasília, Setor de Indústrias e Taguatinga.

A categoria Lojas obteve rentabilidade destaque no Setor de Indústrias (1,04%) e menor rentabilidade em Taguatinga (0,39%). Em Águas Claras, o valor fechou outubro em 0,60% e, em Brasília, em 0,77%. Os imóveis comerciais no DF, obtiveram, majoritariamente, um aumento em seu valor mediano por m².

Valor do metro quadrado aluguel imóveis comerciais

Em relação aos maiores valores da tabela, houve destaque para as Lojas comerciais do Lago Sul, na mediana do aluguel, com registro de R$ 7.000,00, assim como na mediana do aluguel por m², R$ 53,00. Além disso, a menor mediana do aluguel por m² foi encontrada nas Lojas Comerciais da Asa Norte, R$ 32,00, diferentemente de setembro, em que esse destaque ficou para as Salas Comerciais do Sudoeste, R$ 29,00. Por outro lado, a menor mediana do aluguel, para Salas Comerciais, foi encontrada no Lago Norte, em R$ 1.080,00. E, para Lojas Comerciais, a menor observação foi registrada no Sudoeste, em R$ 1.300,00.

Informações do Secovi-DF

Gostou da nossa matéria? Deixe o seu comentário  e fique por dentro das nossas novidades e notícias relacionadas ao mercado de imóveis de Brasília.

Compartilhar: